quinta-feira, 31 de maio de 2012

Day 9: favorite music video from Still Not Getting Any… album.


Este é sem dúvida o meu videoclip preferido dos Simple Plan. Não é nada de especial, mas ainda hoje, quando me meto a cantar esta música, continuo a dizer as falas do Pierre quando ele é interrompido.

terça-feira, 29 de maio de 2012

this is how I do it!

Tenho andado um pouco "ausente" do blog no que diz respeito a ... post's normais? Anyway ... acho que aquela ultima consulta na psicologa me abriu um pouco os olhos e decidi aproveitar o meu tempo e também a boa disposição um pouco melhor do que tenho vindo a aproveitar.
Por isso, eis que tenho feito ultimamente;
Começo a ter um ódiozinho por coisas vulgares e já há imenso tempo que queria renovar a minha mala de viagem.
Bada bim bada bum e eis que aconteceu isto;
Está longe de estar terminada, mas por agora fica assim.

Depois meti-me a pensar (eu ás vezes tenho esses momentos). O meu cabelo está uma autêntica desgraça, o que faz com que de mês a mês tenha que ir ao cabeleireiro e cortar as pontas. E por muito que eu goste de ir ao cabeleireiro, ir lá todos os meses é um pouco caro.
Resultado?
Yeah! Dá para ver a parte de trás do meu pescoço!!!!!
Juro que adoro ver o meu cabelo comprido, mas tê-lo assim curtinho, especialmente no verão, é algo divinal.
Okay, não é a primeira vez que o tenho assim tão curtinho ... aliás, lembro-me especificamente da primeira vez que me deu assim uma panca destas e cortei o meu cabelo á tigela, mas prontos ... pode-se dizer que me sinto como o Ash de Supernatural; "Negócios na frente, festa atrás."
E não, não chorei, não me arrependo de o ter cortado. Sim, porque foram as principais perguntas que me fizeram quando viram o que tinha acontecido ao meu cabelo.

No meio disto tudo, ainda tenho andado por voltas de camisolas e afins.
Começo a ter assim um odiozinho pelo Monstro das Bolachas, mas não há-de ser nada.
E ainda tenho andado a fazer umas outras camisolas, mas isso é o meu projecto secreto ... muahahahahaha!

De resto, tenho andado a ler e a ver séries.
Toda a gente tem andado a queixar-se que agora com o fim das temporadas não tem nada para ver, blá blá blá ... bem, por norma todos os verões faço uma maratona de FRIENDS. Este ano decidi fazer algo diferente.
Oh, não me interpretem mal, o mais certo é fazer uma maratona de FRIENDS, mas antes disso tenho andado a ver outras séries dos anos 90 e a sentir-me velha.
Tudo começou com isto;

Não me perguntem porquê, porque não sei mesmo o que me deu para ver isto. Quer dizer, esta série faz parte da minha infância, mas nunca foi uma série tipo FRIENDS ou Brotherly Love ... nunca me ficou na memória, mas estou a vê-la desde o inicio e estou a adorar.
E depois desta série vem;
Nunca vi, sempre ouvi falar ... estava mais do que na altura de ver.
Quer dizer ... John Stamos!
E por fim;
Já a tinha sacado há algum tempo, mas já que neste verão vou andar em sintonia com os anos 90, achei que era uma boa ideia vê-la agora.

E quanto a leituras, bem, adiantei um pouco, mas nada demais. Andava a "namorar" uns livros e quero ver se os leio rapidamente.
Neste momento já estou a ler o primeiro;
E quando acabar vou passar para o Incarceron, que também me tem andado a perseguir.

E prontos ... básicamente tem sido esta a minha vida. Tenho andado a tratar da minha roupa, com a chegada do verão e tal há que começar a pensar o que vou vestir já que nada me serve e eu não pretendo andar por aí com a roupa a cair-me pelas pernas abaixo.
E na Sexta vou para Lisboa ... Rock in Rio Lisboa! Maroon 5 ... e eu não estou nada ansiosa. Porquê? Ando há anos á espera de um concerto deles cá em Portugal e agora nem curiosidade tenho ... bah!
Anyway ... vou indo, que tenho ainda muita coisa para fazer.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

book #123 - dark needs at night's edge

Pensei que depois dos quatro primeiros livros desta saga não fosse surpreendida, mas acabei por ser surpreendida e de uma maneira positiva.
Kresley Cole é, para mim, uma das autoras que mais erotismo usa nas suas histórias e fiquei com a ideia que todos os livros desta saga iriam seguir os mesmo caminho, mas estava totalmente errada.
Em "Dark Needs at Night's Edge" ela segue uma vertente mais romantica, focando-se na relação do Conrad e da Néomi, no desenvolvimento dessa relação e no romantismo, deixando o erotismo de lado. Atenção, não estou a dizer que não há as típicas cenas eróticas, simplesmente que são deixadas para último plano.
Não vou dizer que, desta saga, é o meu livro preferido, mas gostei da mudança, o que é raro, uma vez que prefiro que os autores se mantenham fieis ao tipo de livro que escrevem inicialmente e aos quais os fãs estão habituados, mas esta foi uma surpresa agradável.
Gosto também do facto de a autora não se esquecer das personagens dos livros anteriores. É comum ver que depois de um autor escrever um livro destinado a um casal de personagens ele é praticamente esquecido, mas não com a senhora Cole. Tudo bem que o Conrad é irmão do Sebastien, Nikolai e Murdoch e que seria estranho eles não aparecerem no livro do irmão, mas ela escreve também sobre a Mariketa e o MacRieve, fazendo deles uma parte importante na história.
E já disse que adoro as personagens desta saga? Personagens bem dispostas e divertidas. Adoro a Nix e mal posso esperar por um livro dedicado apenas a ela.
Por isso ... dêem uma oportunidade a esta saga, porque vale mesmo a pena. Eu sei que, para os leitores portugueses, depois de lerem o "Desejo Insaciável" é um pouco manhoso, mas posso assegurar que esta saga é tão viciante e boa quanto a dos Predadores da Noite da Sherrilyn Kenyon ou a da Irmandade da Adaga Negra da J.R. Ward.

Sinopse;
A RAVEN-HAIRED TEMPTRESS OF THE DARK...
Néomi Laress, a famous ballerina from a past century, became a phantom the night she was murdered. Imbued with otherworldly powers but invisible to the living, she haunts her beloved home, scaring away trespassers -- until she encounters a ruthless immortal even more terrifying than Néomi herself.

A VAMPIRE WARRIOR CONSUMED BY MADNESS...
To prevent him from harming others, Conrad Wroth's brothers imprison him in an abandoned manor. But there, a female only he can see seems determined to drive him further into madness. The exquisite creature torments him with desire, leaving his body racked with lust and his soul torn as he finds himself coveting her for his own.

HOW FAR WILL HE GO TO CLAIM HER?
Yet even if Conrad can win Néomi, evil still surrounds her. Once he returns to the brutality of his past to protect her, will he succumb to the dark needs seething inside him?

domingo, 27 de maio de 2012

book #122 - despertada

Cada vez mais acho que estas senhoras seriam capazes de arruinar até uma lista de supermercado, tão má é a escrita delas. E também me pergunto porque é que continuo a ler esta saga já que é mesmo má. Quer dizer, eu até sei porquê. Apeguei-me á saga porque a loucura dos livros sobrenaturais começou depois de ter lido o primeiro livro desta saga e até ter achado que nem era mau de todo.
Este deve de ter sido o pior livro de toda a saga. Sem surpresas, mal escrito, como costumo dizer, uma boa história base mal aproveitada.
É mais do que óbvio que quando as autoras iniciaram a saga não fizeram qualquer planeamento. Os primeiros livros são escritos na primeira pessoa e depois, sem qualquer aviso prévio os livros começam a ser escritos tanto na primeira pessoa como a partir do ponto de vista de outras personagens, o que, na minha opinião, é completamente ridículo e pouco profissional da parte de um escritor.
E depois temos a tentativa das autoras em dar um pouco de sensualidade á história. Big fail! Especialmente a conversa ridícula entre a Stevie Rae e a Zoey sobre os acontecimentos amorosos entre a Zoey e o Stark. Ninguém fala daquela maneira, ninguém usa aquele tipo de linguagem ... mais uma vez, big fail!
Sinceramente admira-me como é que a saga tem tanta popularidade. Das duas uma, ou a tradução para português é mesmo má ou então as exigências literárias de hoje em dia são bastante baixas.
Curiosa em relação ao próximo livro? Nem um pouco. Vou lê-los? Provavelmente, mas não num futuro próximo.

Sinopse;
No início de Despertada, Zoey voltou do Outro mundo, ao seu lugar de direito como grande sacerdotisa da Morada da Noite. Seus amigos estão contentes apenas por ter ela de volta, mas depois de perder seu consorte humano, Heath, Zoey vai manter a relação dela com o guerreiro super-quente, Stark? Stevie Rae é desenhada ainda mais perto de Rephaim, o Raven Mocker com quem ela compartilha uma relação misteriosa e poderosa, mas é um segredo perigoso que isola-a de sua escola, seus novatos vermelhos e até mesmo seus melhores amigos. Quando a sombria ameaça de Neferet, que está chegando mais perto e mais perto de alcançar seu objetivo de ter de volta a imortalidade e Kalona, que irá tomar para manter a Morada da Noite protegida, e o que será que Zoey fará para conservar seu coração irremediavelmente quebrado?

sexta-feira, 25 de maio de 2012

nails #68





(depois de seco, o verniz muda de cor sempre que se molha ou com influência da luz)

Ylin Mood; "Lilac & Blue"

terça-feira, 22 de maio de 2012

i'll never forget that 16 year old girl ...

Após um periodo de quase 10 anos, tive hoje a minha última consulta na psicóloga.
É incrivel ver a mudança, a minha mudança. Há uns 10 anos atrás eu era uma miúda com 16 anos e sérias dúvidas sobre o meu futuro. Estava no 11ºano do curso de design e o que mais queria era deitar tudo ás favas para me juntar á força aérea. Sim, foi assim que começou a minha aventura pelo mundo da psicologia.
Neste periodo passei por uma ameaça de depressão, uma depressão e sintomas de agorofobia. E o que me manteve sã foram essas mesmas sessões. Saia de lá a chorar, mais confusa do que tinha entrado, mas depois de reflectir sobre cada sessão a verdade é que tudo se encaixava e acabava por tomar a decisão acertada.
Nos últimos tempos ia com menos frequência ... a última vez que lá tinha ido foi por volta da altura do natal.
E hoje admiti o que há muito tinha medo de admitir. Estou feliz e tenho medo disso. Sim, eu tenho medo da felicidade.
É estranho, mas é verdade. Passei tantos anos a ser infeliz e a encontrar pessoas que me faziam sentir mal que agora que encontrei as pessoas certas e que tenho coragem para fazer o que realmente me faz feliz, sinto medo.
Medo que seja tudo mentira e que acabe e volte a ser aquela rapariga de 16 anos que se contentava com os restos de atenção que as pessoas lhe dispensavam. Não quero voltar a ser quem era e aí reside o meu medo.
Nestes primeiros cinco meses de 2012 alcancei tanto, tenho sido tão feliz que chego a pensar que isto não é a realidade.
Quando cheguei á consulta e disse "por onde começar?" apercebi-me que era verdade, os últimos meses têm sido reais e ao inicio, com pequenos passos, comecei a realizar sonhos que por muito tempo pensei que permaneceriam assim; sonhos.
Até agora realizei um sonho que há muito me fazia "comichão"; vi um concerto fora de Portugal. E agora vou realizar um segundo sonho. How crazy is that? Se alguém dissesse aquela rapariga de 16 anos que aos 25 anos estaria licenciada em Cinema e Audiovisual, que iria viajar pela Europa fora, que ia encontrar amigos que realmente se importam com ela e que ia fazer milhentas coisas que apenas lembraria ao diabo, ela diria que são malucos.
Uma roadtrip? Um concerto fora de Portugal? Conhecer os Simple Plan? Fazer parte da equipa técnica de um filme? Emagrecer 20kg? Ser feliz? Isso parece a descrição da vida de outra pessoa e não daquela miuda de 16 anos que estudava design e queria juntar-se á força aérea porque não se integrava em mais lado nenhum.
Tinha prometido a mim mesma que este ano seria melhor que 2011, que este ano iria realizar sonhos e não simplesmente sonhar ... a alguns pode parecer uma coisa idiota e sem sentido, mas para mim é importante. É importante que ao fim de dez anos me sinta tão feliz ao ponto de ter medo dessa felicidade.
Pensei sinceramente que nada poderia sobrepor-se ao passado, que iria olhar para trás e me iria sempre arrepender, porque queria ser feliz como naquela altura, apesar de ser tudo uma mentira. Preferia aquela mentira á realidade, porque era feliz naquela mentira. Bem, o passado que fique com aquela falsa felicidade porque eu fico com 2012 e a sua felicidade verdadeira.
Obrigado a todos que hoje me fazem pensar que aquela rapariga de 16 anos merecia a felicidade que está hoje a viver.

nails #65


Cliché; "Tormento"
Models Own; "Lilac Dream"

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Day 7: favorite song from Get Your Heart On album.

Mais um daqueles casos em que não posso ficar-me apenas por uma única música.
"You Suck at Love", "Can't Keep My Hands Off You", "Astronaut", "This Song Saved My Life" ... mas aquela que realmente me faz chorar e divagar é "Gone Too Soon".

nails #64


Rimmel; "Heart Breaker"
Yolizul Fashion; "185"

domingo, 20 de maio de 2012

book #121 - a cidade dos anjos caídos

Nunca tal me tinha acontecido. O mundo deve de estar mesmo para acabar, porque nunca tal me aconteceu.
Eu sou da opinião que a senhora Cassandra Clare deveria de ter escrito a trilogia e parado por aí, a história estava muito bem como estava, não precisava de ser "alargada". Mantinha-se pelo plano original, que eram três livros, e depois podia escrever a prequena, mas nunca, nunca, deveria de ter sequer pensado na ideia de escrever uma sequela.
Primeiro que tudo nota-se mesmo que a história é forçada, demasiado até. Depois, na minha opinião, não há qualquer surpresas no livro. É óbvio que o Sebastian vai voltar, é óbvio que ele se vai "fundir" com o Jace ...
E depois, o impensável aconteceu. Uma das minhas personagens preferidas durante toda a trilogia começou a irritar-me profundamente. Tão profundamente que cheguei ao fim do livro a detesta-la e a dar graças aos santinhos por o livro ter terminado porque não a suportava mais. Estou a falar do Jace. Acho que foi das primeiras vezes que até gostava do casal principal e isso iria manter-se assim caso um génio (que deveria de ser recambiado de volta para a lampada e não sair mais de lá) não se lembrasse de acrescentar mais livros á saga.
Ponto positivo do livro? O Magnus e o Alec, finalmente a Cassandra Clare decidiu dar um pouco de atenção á relação deles, apesar de que é mais do que óbvio o que o Magnus vai fazer daqui para a frente.
O segundo e último ponto positivo; a escrita continua a ser da mais completa e bem tratada que tenho visto nos livros actualmente.
E prontos ... não leiam. Juro, quem gostou dos três primeiros, por favor, fique-se por aí porque este quarto vem apenas estragar um trilogia que tinha tudo para ser perfeita. Nunca pensei falar mal de um livro da Cassandra Clare, mas este merece mesmo.

Sinopse;
Amor, traição, sangue e vingança – os riscos são maiores do que nunca em City of Fallen Angels. Simon Lewis está tendo alguns problemas para se adaptar a sua nova vida como um vampiro, especialmente agora que ele mal vê sua melhor amiga Clary, que está envolvida em seu treinamento para se tornar uma Caçadora de Sombras – e passando tempo com seu novo namorado Jace. Sem mencionar que Simon não sabe lidar com a pressão de não-namorar-ao-mesmo-tempo com duas garotas. O que um vampiro que adora luz do sol tem de fazer? Simon decide que precisa dar um tempo a sua cabeça fora da cidade – apenas pra descobrir que eventos sinistros estão seguindo-o. Percebendo que a guerra que eles pensaram ter ganho poderia ainda não ter acabado, Simon chama seus amigos Caçadores de Sombras para salvar o dia – se eles puderem colocar seu próprios relacionamentos de lado para cumprir o desafio.

Day 6: favorite song from Simple Plan album.

Bah ... este é o meu albúm preferido da banda, logo, a tarefa é mais do que díficil.
"Save You", "Take My Hand", "Generation" e "I Can Wait Forever" ... tem que ser, não me consigo decidir apenas por uma quando se trata deste c.d.

sábado, 19 de maio de 2012

Day 5: favorite song from Still Not Getting Any… album.

Ah, este é mais fácil de escolher, apesar de gostar de todas as músicas, a que sempre me ficou na cabeça foi a "Perfect World".

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Day 4: favorite song from No Pads, No Helmets… Just Balls album.

Porque raio neste desafio me pedem para enumerar apenas um item?
Gosto bastante da "You Don't Mean Anything", "Addicted", "My Alien", "Perfect" e "Grow Up" ... se tenho que escolher apenas uma, fico-me pela "Grow Up", porque tem aquele toque "Peter Pan" e é assim que sempre me senti, que não quero crescer, quero permanecer jovem.
Sim, eu sei que é um motivo estúpido, mas já que só posso enumerar uma música ...

quinta-feira, 17 de maio de 2012

fuck this shit ... i'm going to narnia.

Eu sabia que hoje devia de ter ficado em casa e baldado ao treino de kickboxing.
Mal entrei no balneário deu-me uma enorme dor de barriga seguida pela sensação de que a qualquer momento ia vomitar. Meia zonza, lá fui para o treino.
Mesmo no fim, pumba! Em vez de dar um low kick com a canela, usei o joelho. Bem, joelho com joelho não é lá muito agradável e passei os dois minutos seguintes encostada á parede a morder o lábio para não começar o típico reportorio de palavrões.
Para terminar em beleza, a água quente acabou e tive que tomar um banho de água gelada.
Para quem não sabe, eu posso estar a morrer de calor, mas banho é banho e a água tem que estar práticamente a ferver, para mim.
Enfim ... amanha é um novo dia.

leave me here, sébastien lefebvre feat. katie rox


I still remember the knock on the door
When you came in the middle of the night
The message you left
'I'm on my way'
And I thought you were saying good bye
I was watching your lips as you started to speak
But all you could hear was a fight
I was watching your hands as you painted this picture
But all you could see was a canvas of anger
I don't want you to leave me here
I don't want you to stay mad at me
This hypocrisy is taking it's toll on me
How can you stand there and not say a word
When I'm practically down on my knees
I was watching your feet as you stept on my heart
And wiped it from under your shoe
I was watching your eyes as you stared in the dark
I would never ever ever never ever ever do this to you
I don't want you to leave me here
I don't want you to go
What I wanted to say if you'd stop going crazy
Just stop, just stop
What I was trying if you'd stop going crazy
Just stop, just stop
You know what I thought
You'd be this sudden rhapsody
Why are you drinking?
I fell in love with you, wanna be part of you
But this part, I see, makes me right, makes me right
I don't want you to leave me here
I don't want you to stay
I don't want you to leave me here
Don't leave me here
I don't want you to go

destinada, P.C. Cast + Kristin Cast

1 de Junho

Day 3: favorite Simple Plan member.

Okay, eu acho que esta é uma pergunta um pouco injusta.
Eu tenho uma enorme crush pelo David, mas acho o Pierre tão fofinho, o Seb é simplesmente lindo, tenho um fascinio estranho pela careca do Jeff e adoro a dedicação do Chuck para com a banda e os fãs.
E agora? Como digo que um é o meu preferido?

terça-feira, 15 de maio de 2012

videoblog #12 - day 2 in london - soundcheck party (David Desrosiers!!!)


"Sofia, filma-me a dar a t-shirt e um abraço ao David" ... bem, a primeira parte foi bem executada, a segunda ... not so much.
A sorte é que fizemos um videoblog depois da soundcheck party, porque senão nem me lembrava dos pormenores do abraço ...
MAS ... ficou ali a expressão depois do comentário da Sofia referente a Hott Baguettes!!!!!

(primeiro, não liguem ao que nós dizemos, porque não estavamos bem da cabeça. segundo, foi filmado com o IPhone da Sofia, por isso, só hoje é que fiz o upload)

nails #63


Natural Collection; "Black Cherry"

everything is bigger in London.


Sacas gigantes de Skittles e latas enormes de Red Bull! Me likes!

I don't wanna be told to grow up ... I just wanna have fun - Parte 4

Tivemos que esperar até depois da uma da manha pelos Simple Plan. A maioria das fãs estava junto ao portão por onde entravam os camiões, enquanto que eu e a Sofia estávamos sentadas perto da porta que dava acesso ao backstage. Bem, eu estava sentada, a Sofia preferiu estar de pé.
E eis que, assim, sem mais nem menos, aparece o Pierre. Juro que fiquei a olhar para ele como se ele fosse um extraterrestre, porque ele saiu descontraidamente, como se fosse alguém do staff e não o vocalista da banda. A Sofia, não me perguntem o que lhe deu, mas depois de me virar para ela e lhe dizer “olha, é o Pierre”, apontou para ele e perguntou autoritariamente “did you eat the Toblerone?”.
Juro que a partir daí tudo se tornou um pouco desfocado na minha mente. O Pierre pediu-nos para nos alinharmos, de maneira a ter tempo de falar e afins com toda a gente e entretanto o Jeff e o Chuck juntaram-se a nós, bem como o David.
Depois disto tudo, assistimos a algum flirt da parte do David e do Jeff, o que nos deixou um bocado boquiabertas, talvez porque apesar de nalgumas matérias termos uma mente perversa, noutras somos bastante inocentes.
Enfim, depois de termos esperado que o David acabasse a sua conversa sobre carros com um rapariga que mais parecia uma barbie (ainda acredito que aquilo era um código qualquer para “encontramo-nos no banco de trás de um carro e fazemos uma festa”), lá tivemos oportunidade de estar novamente com o David. Mais uma vez, o Jeff fugiu de nós, não me perguntem porquê, mas nós devemos de assustar o rapaz. O Seb não veio cá fora, por isso acabamos apenas por estar novamente apenas com o Pierre, Chuck (que estava mesmo com um ar cansado, por isso não puxamos muita conversa) e o David.
Depois disto tudo, andamos á procura da paragem do autocarro e quando finalmente a encontramos quem é que passa por nós? O Coley, Hunter e Charles Trippy dos We the Kings. Olho para o lado e lá vem um grupo de rapazes, acompanhados pelas namoradas e depois de os reconhecer a minha reacção foi apenas dizer-lhes “hi” ... já a Sofia manteve-se calada. Ainda pensei em lhes pedir o autografo, mas eles estavam com as namoradas e achei que seria abusar, apesar de o autografo do Hunter ser tipo o cromo perdido ... não o consegui em Lisboa nem em Londres ... fantástico.
Anyway ... lá apanhamos ao autocarro, perdemo-nos lá pelo meio (se não me engano tínhamos que apanhar uns três autocarros para chegar ao hostel). A cena era deveras engraçada, porque a Sofia estava a entrar em pânico e eu estava completamente eufórica e apenas dizia “não quero saber, eu tive uma conversa cinematográfica com o Danny Duncan, o que fazia com que a Sofia se passasse da cabeça.
Quando finalmente chegamos ao hostel acabamos por nos deitar na cama tal e qual como estávamos, com a roupa do concerto, tal era o cansaço.
E foi esta a nossa aventura por mais um concerto dos Simple Plan e We the Kings.
Quando é o próximo, porque esta aventura agradou-me imenso!

Day 1: when did you first listen to Simple Plan?

Em 2002, quando a MTV ainda não tinha um canal português ... yup, eu sou desse tempo.
Estava em casa do meu avô e começou a passar a "I'm Just a Kid" e achei imensa piada ao video ... a partir daí fiquei viciada.