terça-feira, 31 de julho de 2012

settle down, no doubt


Get get get in line, and settle down
Get in line, and settle down
What's your twenty? (Do you copy?)
Where's your brain? (Do you copy?)
Checking in to check you out
Concerned about your whereabouts
Copy that, you're acting strange
So tell me what is going on
So heavy I bet
I'm fine (and nothing's gonna knock this girl down)
I'm hella positive for real, I'm all good no
I'm fine (and nothing's gonna knock this girl down)
It's kinda complicated that's for sure
But you can see it my eyes, you can read on my lips
I'm trying to get a hold on this
And I really mean it this time
And you know it's such a trip
Don't get me started
I'm trying to get a hold on this
Get get get in line, and settle down
Get in line, and settle down
No big deal (I can handle it)
It'll bounce off me (I can handle it)
In or out, moved block before, doesn't matter anymore
Here we go again, are you insane?
We're underneath the avalanche so heavy again
I'm fine (and nothing's gonna knock this girl down)
I'm hella positive for real, I'm all good no
I'm fine (and nothing's gonna knock this girl down)
It's kinda complicated that's for sure
But you can see it my eyes, you can read on my lips
I'm trying to get a hold on this
And I really mean it this time
And you know it's such a trip
Don't get me started
I'm trying to get a hold on this
Get get get in line, and settle down
Get in line, and settle down
I'm a rough and tough, i'm a rough and tough
And nothing's gonna knock this girl down
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough
And nothing's gonna knock this girl down
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough
And nothing's gonna knock this girl down
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough
But you can see it my eyes, you can read on my lips
I'm trying to get a hold on this
And I really mean it this time
And you know it's such a trip
Don't get me started
I'm trying to get a hold on this
Gotta get a hold on this
Trying to get a hold on this
Don't get me started
Gotta get a hold on this
Get get get in line, and settle down
Get in line, and settle down

domingo, 29 de julho de 2012

O resumo do meu dia até chegar a casa, mas neste momento estou tão cansada que prefiro deixar isso de lado e lidar com todos os sentimentos amanha.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

my david!

Pelos vistos o meu David fez algo semelhante hoje e eu não vi!!!
Yup, a sorte foi que o meu pai estava lá, viu o que se passou e quando cheguei a casa ele lá me contou!

Unusual Music Ask

☮ When was the last time you went to a concert? Which one was it?

Simple Plan, em Santiago de Compostela (Espanha), 24 de Junho 2012.

✈ Is there any kind of music that you can’t stand?

Musica techno e derivados.

☠ Do you play a musical instrument? What instrument?

Aprendi flauta na escola e arranho algumas notas na guitarra.

☯ How many CDs do you own? From which artist do you have the most CDs?

Centenas deles ... a maioria terei que dizer que são dos Queen.

✌ Name 3 bands you would most like to meet. Why?

Okay, eu diria Simple Plan, mas já os conheci. Depois teria que dizer Queen, mas é um pouco dificil, porque o Freddie já não está entre nós. Por isso, All Time Low, HIM e Colbie Caillat (não é uma banda, mas prontos ...).

✖ What do your parents think about the music you listen to?

Como está dentro do género que o meu pai também gosta, não tem nada a dizer.

☢ Do you still buy CDs? Which was the last CD you bought?

Dependendo da banda, sim. O último foi a edição especial do "Simple Plan", dos Simple Plan.

☤ Do you most pay attention to the melody or the lyrics?

Melodia primeiro e se for algo que goste, vou imediatamente ver a letra.

♫ Name your top 3 albums from your favorite band/artist.

"Simple Plan", "No Pads No Helmets ... Just Balls" e "Get Your Heart On".

★ Is there any music band you liked years ago that you would not like now?

Nem por isso.

✞ Can you concentrate on other things when you are listening to music?

Sim. A única coisa que que não consigo fazer enquanto ouço música é ler algo em inglês.

♛ Name your top 5 music videos.

- "I Want to Break Free" - Queen
- "I Never Told You" - Colbie Caillat
- "Save You" - Simple Plan
- "Freedom" - George Michael
- "Always" - Bon Jovi

◔ Put your mp3/ipod on shuffle and name the first 5 songs you stumble upon.

-"Man in the Mirror" - Michael Jackson
-"When I'm Gone" - Simple Plan
-"Crash and Burn" - Simple Plan
-"Alibi" - 30 Seconds to Mars
-"We Built This City/We're Not Gonna Take It" - Rock of Ages Cast

☭ Punk or heavy metal?

Punk.

ϟ Do you sing in the shower?

Ás vezes.

☫ How much time do you spend listening to music every day?

O dia todo, praticamente.

ø If you could play any musical instrument, what would it be?

Guitarra, acho eu.

‽ If you could take the place of a band member for one day, who would it be?

Alguém que fosse uma autêntica diva.

✒ If you were a song, what song would you be and why?

"I Want to Break Free" dos Queen. Sempre achei que se adequava á minha pessoa, não sei explicar bem o porquê.

☺ What do you think the world would be like without music?

Uma porcaria.

♠ Name one manufactured band (in your opinion).

Nos dias de hoje, por onde começar?

✦ What musicians did you like 5 years ago? 10 years ago?

Queen, Tracy Chapman, Simple Plan, George Michael ...

♜ If you could invent a new instrument, what would it sound like?

Sei lá ... nunca pensei nisso.

♟ If you could be any musician in the world, who would you be and why

Alguém dos Simple Plan. Porque apesar de serem famosos e talentosos, são pessoas com os pés bem assentes na terra.

terça-feira, 24 de julho de 2012




book #130 - unbearable lightness

Depois de ter visto no "Ellen" o especial sobre o lançamento do livro, fiquei curiosa, mas o livro demorou tanto tempo a chegar que acabei por perder o interesse e depois peguei nele mesmo por pegar, mas ainda bem que o fiz.
O livro foca-se na perda de peso, mas isso é apenas um disfarce, a meu entender. É uma critica á sociedade em que vivemos nos dias de hoje.
As pessoas ficam tão obcecadas em agradar os outros, em enquadrar-se, que acabam por ir a extremos. Não importa se somos felizes ou saudáveis, o que importa é que a sociedade nos aceite. É essa a história da Portia. É isso que o livro me transmitiu.
Temos uma rapariga, Amanda Rogers, que não gosta da sua aparência e então, para compensar isso, decide que tem que ser a melhor e quando isso não funciona, decide que tem que se tornar modelo, porque as modelos são bonitas.
Quando a mãe dela aceita a decisão da filha, tudo gira á volta dela. O problema é que não importa o que faça e o que alcance, a pequena Amanda nunca está satisfeita e, convenhamos, a mentalidade dela não é das melhores. E para piorar as coisas, a mãe, muito provavelmente impulsionada por um sentimento de culpa, faz-lhe as vontades todas e até a ajuda nas dietas malucas que ela faz quando tem uma sessão fotográfica.
Como ser modelo não é suficiente, ela acaba por decidir que também quer ser actriz. E nasce assim Portia de Rossi.
Para além de não gostar do que vê no espelho, Portia é lésbica. É de lembrar que tudo isto se passa nos anos 90 e que a própria Elle DeGeneres foi despedida por ter assumido publicamente que era lésbica.
A única pessoa que sabe que ela é lésbica é a mãe e daí não veio muita ajuda, porque a mãe aconselha-a a manter-se "no armário".
Resumindo, temos uma pessoa que odeia o seu corpo e que é uma lésbica fechada a sete chaves no armário.
E porque é que ela se odeia? Porque a sociedade ensinou-lhe que "se queres ser amada e aceite, tens que caber num tamanho 4" ... e o caso piora quando ela assina contrato com a L'oreal e para eles o tamanho 4 equivale a um tamanho 8. Claro que isso acaba por fazer com que ela odeie ainda mais o que vê no espelho.
Pele e osso. Básicamente a esse ponto que ela chega. Ela fica tão obcecada em ser magra que passa fome, faz exercicio sem parar ... e quando já não tem mais nada a não ser pele e osso, ela continua a achar que isso não é suficiente, que há sempre uma ou outra gordura a perder.
Ela chega mesmo ao ponto de se passar completamente porque comeu uma pastilha elástica. Isso faz com que ela corra de um lado para o outro num parque de estacionamento, que vá para casa e que corra para cima e para baixo nas escadas do prédio.
É o extremo.
E quando finalmente o pessoal á volta dela decide reparar que ela tem um problema, ela vai para a reabilitação e passa de um extremo ao outro.
Engorda e depois acaba por se arrepender e sentir que tem que enverdar novamente pelas dietas loucas que fazia.
Tudo isto e ainda o medo de ver a sua orientação sexual exposta.
As coisas acalmam quando ela finalmente acaba por se aceitar tal como é. E é aí que eu lhe dou valor. Ela precisou de estar á beira da morte para se aperceber que ela não tem que agradar mais ninguém a não ser ela própria, mas ao menos apercebeu-se, enquanto que há pessoas que nunca chegam a essa conclusão.
Chorei ao ler este livro, porque me idêntifiquei com algumas situações. Mas sobretudo chorei quando ela se apercebeu que a Ellen se apaixonou por ela quando ela engordou todos aqueles quilos. Foi aí que ela percebeu que não tinha que agradar aos outros, que a felicidade não escolhia formas ou orientação sexual.
Primeiro que tudo, se estão numa de perder peso, leiam este livro, porque para além de inspirador, é uma ajuda sobre o que não devem de fazer. Segundo, mesmo que não estejam a perder peso e se sintam bem com o vosso corpo, leiam este livro, porque é uma lição de vida e um retrato fiel da sociedade em que vivemos e o quanto é necessário mudar.
O livro foca-se na jornada pela anorexia, mas pode-se aplicar a tantas coisas que estão erradas na sociedade de hoje.

Sinopse;
“I didn’t decide to become anorexic. It snuck up on me disguised as a healthy diet, a professional attitude. Being as thin as possible was a way to make the job of being an actress easier . . .”
Portia de Rossi weighed only 82 pounds when she collapsed on the set of the Hollywood film in which she was playing her first leading role. This should have been the culmination of all her years of hard work—first as a child model in Australia, then as a cast member of one of the hottest shows on American television. On the outside she was thin and blond, glamorous and successful. On the inside, she was literally dying.

In this searing, unflinchingly honest book, Portia de Rossi captures the complex emotional truth of what it is like when food, weight, and body image take priority over every other human impulse or action. She recounts the elaborate rituals around eating that came to dominate hours of every day, from keeping her daily calorie intake below 300 to eating precisely measured amounts of food out of specific bowls and only with certain utensils. When this wasn’t enough, she resorted to purging and compulsive physical exercise, driving her body and spirit to the breaking point.

Even as she rose to fame as a cast member of the hit television shows Ally McBeal and Arrested Development, Portia alternately starved herself and binged, all the while terrified that the truth of her sexuality would be exposed in the tabloids. She reveals the heartache and fear that accompany a life lived in the closet, a sense of isolation that was only magnified by her unrelenting desire to be ever thinner. With the storytelling skills of a great novelist and the eye for detail of a poet, Portia makes transparent as never before the behaviors and emotions of someone living with an eating disorder.

From her lowest point, Portia began the painful climb back to a life of health and honesty, falling in love with and eventually marrying Ellen DeGeneres, and emerging as an outspoken and articulate advocate for gay rights and women’s health issues.

In this remarkable and beautifully written work, Portia shines a bright light on a dark subject. A crucial book for all those who might sometimes feel at war with themselves or their bodies, Unbearable Lightness is a story that inspires hope and nourishes the spirit.

welcome to the family!

Esta semana que passou tenho falado do zoo em que esta casa se transformou. Por isso, vamos lá ás apresentações como deve de ser.
David

Sierra

Tobias

Roxy

Estes são os novos residentes cá de casa. Ali no meio falta o Porthos, mas não tenho nenhuma foto dele (nem a minha irmã, já que roubei as fotos do facebook dela), mas prontos ...
Todos com os seus nomes, todos instalados ... todos uns autênticos terroristas.
Okay, o pobre do David não é nenhum terrorista, é uma paz de alma, como se costuma dizer, mas ontem fui dar com ele dentro do saco do feno, qual boss. Juro que tive um ataque de riso, porque não o conseguia encontrar e começava a ficar preocupada, mas o pequenito estava todo refastelado no saco do feno, a comer.

um mês ♥


segunda-feira, 23 de julho de 2012

how to be funny, according to Chandler Bing.

Como já tinha dito, mais um animal vinha a caminho. Desta vez é uma cadela e, a principio, tinham dito que era uma Pastor Alemão, mas quando ela chegou cá a casa achei-a estranha. Quer dizer, estranha para um Pastor Alemão.
Bem, olhando para a cédula vi que na realidade é Serra da Estrela, mas sinceramente, isso pouco me importa, porque adorei-a.
Ela está a adaptar-se bem e até já tem um objectivo; transformar o Tobias (o pássaro da minha irmã) em ração.
Agora falta-lhe um nome.
O meu pai gosta de Milady (também para continuar com a tradição dos nomes do livro "Os Três Mosqueteiros"), a minha irmã gosta de Nala (também tradição dos nomes do "Rei Leão") e eu, dos nomes sugeridos, gosto de Pandora.
Já temos um cão chamado Porthos, tivemos um cão chamado Simba ... Pandora parece-me um bom nome e também um pouco fora do normal, porque sinceramente, não a vejo como uma Milady ou Nala. Mas, diferente da situação dos coelhos, é um caso em que temos que estar os três de acordo e neste momento está complicado.
Como ela esteve noutra casa antes de vir para aqui, os antigos donos chamavam-na de Tigma (nome temporário, porque eles já sabiam que não iam ficar com ela), mas chegamos a acordo que nenhum de nós gosta dele.
Alguma sugestão?

domingo, 22 de julho de 2012

book #129 - dream warrior

Não gosto e muito dificilmente alguma vez irei gostar da vertente Dream Hunters da Sherrilyn Kenyon. Não me perguntem porquê, porque há coisas que não se consegue explicar e esta é uma delas.
O facto de se saber de ante-mão que os Dream Hunters não têm sentimentos e afins torna a história mais do que previsivel e básicamente igual umas ás outras.
Eles acabam por recuperar os sentimentos e lutam contra Zeus, blá blá blá, é sempre o mesmo, mudando o nome das personagens e um ou outro pormenor.
E depois há o facto de já saber que a Delphine é filha da Leta (Upon the Midnight Clear), ou seja, quando é relatado que o Cratus se recusou a matar uma criança e para isso foi forçado a afastar o bebé da mãe, era mais do que óbvio, para mim, que se tratava da Delphine e que no fim elas se iam reencontrar.
Pode-se dizer que apenas leio os livros dos Dream Hunters só mesmo por ler e para não perder algum detalhe que possa aparecer referente ao resto da saga (como é o caso do "The Dream Hunter", onde aparece a Tori pela primeira vez).

Sinopse;
We are the Dolophoni. Diligent. Vigilant. Fierce and inescapable. Servants of the Furies, we are the right hand of justice and no one stands before us.

The son of Warcraft and Hate, Cratus spent eternity battling for the ancient gods who birthed him. He was death to any who crossed him. Until the day he laid down his arms and was banished into exile.

Now an ancient enemy has been unleashed and our dreams are his chosen battlefield. The only hope we have is the one god who swears he will never fight again.

As a Dream-Hunter, Delphine has spent eternity protecting mankind from the predators who prey on our unconscious state. But now that her allies have been turned, she knows in order to survive, the Dream-Hunters need a new leader. Someone who can train them to fight their new enemies. Cratus is her only hope. But she is a bitter reminder of why he chose to lay down his arms.

Time is running out and if she can’t win him to her cause, mankind will be slaughtered and the world we know will soon cease to exist.

sábado, 21 de julho de 2012

E a familia não pára de crescer.
Finalmente os nomes dos meus meninos. Apresento-vos o David e a Sierra.
Hoje fui buscar o David e ele já conquistou toda a gente cá em casa.
E se tiver sorte, amanha chega a cadela cá a casa.
Começa a parecer um jardim zoológico.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Amanha vou voltar á minha infância e apreciar algumas das músicas com as quais cresci!

forever my favorite scene!

novidades SdE até Novembro.

AGOSTO:
O Vale do Silêncio - Nora Roberts
Diabo do Rio - Patricia Briggs
Anjo Sombrio - Cinthia Hand
O Mistério de Charles Dickens V.2 - Dan Simmons
O Rei Veado - Marion Zimmer Bradley

SETEMBRO:
Two's Company - Jill Mansell
Traição Mortal - J.D. Robb
Sangue Impetuoso - Charlaine Harris
BD Cavaleiro de Westeros - George R.R. Martin
Dragões do Assassino - Robin Hobb

OUTUBRO:
À Luz da Meia Noite - Sherrilyn Kenyon
Mago - O Corsário do Rei - Raymond Feist
Juramento de Dragão - P.C. Cast
O Problema Espinosa - Irvin Yalom
Rebelde - Bernard Cornwell

NOVEMBRO:
Irmãos de Sangue - Nora Roberts
A Casa de Gaian (Os Pilares do Mundo) - Anne Bishop
O Prisioneiro da Árvore - Marion Zimmer Bradley
A Caminhada - Richard Paul Evans
Preciso de um concerto rápidamente, que eu não aguento mais esta ressaca.
Amanha há Garbage por estes lados e começo a ficar arrependida por não ir.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Esta é a semana da bicharada.
Como muitos sabem, a Ash esteve doente durante o fim de semana e acabou por morrer na madrugada de Domingo.
Não queria estar a comprar outro animal de estimação, porque sinceramente estava habituada a ela e foi complicado perde-la.
Bem, a minha irmã chegou hoje e acabou por me convencer do contrário.
E foi assim que a Desrosiers (nome provisório, porque a minha irmã não está de acordo), veio parar cá a casa.
Eu acho que Desrosiers é um nome bastante apropriado, porque parece que ela tem eyeliner e porque ... convenhamos, David não é bem um nome feminino e eu queria mesmo dar-lhe um nome que tivesse alguma ligação com o baixista dos Simple Plan.
Mas as novidades não se ficam por aqui.
Entre hoje e amanha vem mais um novo elemento cá para casa. Um amigo do meu pai ofereceu-lhe uma pastora alemã de quatro meses e quando ele perguntou o que eu e a minha irmã achavamos, bem, nós nunca recusamos animais de estimação, por isso, a pequena vem cá para casa.
O problema é o nome. Como normalmente temos apenas machos, encontrar um nome feminino é um pouco dificil, por isso, sugestões são bem-vindas.
E ... a minha irmã está a tratar de um passarinho, o Tobias. E surgiu a ideia de fazermos criação de coelhos, por isso, nos próximos tempos a Desrosiers vai ter companhia, talvez um Bon Jovi (piada entre irmãs).
Resumindo, a minha casa está a tornar-se um mini zoo. E pensar que até há pouco tempo era apenas a Ash e o Porthos.