quarta-feira, 31 de outubro de 2012

book #145 - silêncio

Ao ler este livro, aos poucos e poucos, ia sentindo que era aquilo a que uma pessoa chama de "palha", porque inicialmente o livro centra-se na luta da Nora para se lembrar o que lhe aconteceu nos cinco meses anteriores.
No final de "Crescendo" ela é raptada e "Silêncio" começa quando ela é encontrada, sem memória dos últimos cinco meses.
Passamos metade do livro sem receber informação nova e isso acaba por se tornar chato. Na minha opinião, o livro começa a tornar-se interessante quando ela, finalmente, se lembra de tudo. Resumindo, quando o leitor começa a receber novas informações.
Sinceramente, o suspence a que os livros anteriores nos habituaram desaparece, mas nem por isso este livro deixa de ser interessante.
Apesar de considerar metade do livro "palha", essa "palha" é necessária para o desenrolar da história. Pode parecer contraditório, mas não há outra maneira de o explicar.
E continuo com a sensação que a personagem Patch é uma autêntica fachada. Não sei se é essa a intenção da autora, mas cada vez mais fico com a impressão que a qualquer momento ele se pode virar contra a Nora e ser, na realidade, o mau da fita.
Enfim ... resta esperar pelo último livro da saga para descobrir.

Sinopse;
Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais. Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora. Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

domingo, 21 de outubro de 2012

Estes meninos chegaram cá a casa na semana passada.
Again, sem pagar um tostão (excepto pelo livro da Gena Showalter).
E entretanto, tenho andado a empacotar os livros que vão para Edimburgo ...

terça-feira, 16 de outubro de 2012

meh ...

Hoje esteve o dia perfeito para estar enfiada na cama, enroscada nos cobertores, a ler um livro ... e o que é que eu estive a fazer? Pois é, estive presa numa oficina, à espera que os funcionários se dignassem a trocar os pneus, porque quando cheguei a casa à hora do almoço notei que um dos pneus da frente estava furado.
Espero bem que amanha chova a potes para me compensar deste dia perdido.
Sim, porque em vez de compensar a tarde, enroscada nos cobertores a ler um livro, hoje à noite vou ao jogo da Selecção, no Estádio do Dragão.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

chegou um novo tipo de ridículo ...

Antes de começar a dizer o que venho aqui dizer, quero deixar duas coisas bastante claras;
1- Não tenho nada contra as manifestações que têm acontecido por aí fora ... todos têm o direito à sua opinião.
2- É raro ver os telejornais.
Dito isto, vamos lá começar a divagar sobre a estupidez que vi há poucos minutos na televisão.
Estava eu a jantar e eis que o meu pai liga a televisão para ver o telejornal, no momento exacto em que eles passam o directo para as escadarias da Assembleia da República. Até aqui, nada demais ... tem sido o pão nosso de cada dia.
Mas eis senão que no meio dos manifestantes vejo uma antiga colega de faculdade, a gritar toda cheia de razão para o cordão policial.
O que se deve de saber sobre essa minha antiga colega é que ir as aulas, nem ver ... se aparecia a metade de um semestre, já era muito.
Oras, perante o reconhecimento da pessoa em causa, eu ri-me. Sim, ri-me a bom rir, porque quando pensava que já nada me surpreendia neste povo português, eis que surge esta rapariga e me faz acreditar novamente na estupidez de algumas pessoas.
Ela ali no meio, a protestar, a exigir um emprego, quando nem a metade das aulas ia.
Pergunto eu, onde estava esse entusiasmo quando ela estava a estudar, a preparar-se para o futuro? Não estava ... pois é.
Mas não é só isso ... este povo diz que vai para uma manifestação para lutar pelos seus direitos, mas mais de metade deles vai para lá perdidos de bêbados, só para causar confusões, enquanto que aqueles que têm dois dedos de testa estão em casa a tentar decidir o que fazer no futuro.
Sim, porque acho que ficou há muito que provado que isto não vai lá com manifestações, porque se realmente essas ditas manifestações adiantassem de alguma coisa, o seu efeito já teria surgido.
Se as pessoas investissem o seu tempo em procurar emprego ou maneiras de ajudar o pais a entrar nos eixos, acredito que isso sim era um bom investimento.
Mas lá está, as pessoas estão no seu direito de mostrar o desagrado que sentem, bem como manifestar-se, mas agora não me venham com falsidades. Uma pessoa que nem as aulas se dignava a ir, porque preferia ir fumar um charro ali na esquina, vai para a frente da A.R. exigir a um governo que lhe arranje um emprego ... tenham dó, mas isso é ridiculo ...
Já para não falar no facto de ter gasto dinheiro em ir a Lisboa para uma manifestação. Quem precisa de um emprego é porque precisa de dinheiro (há excessões, mas prontos, estou numa de generalizar) e se tem dinheiro para ir a Lisboa berrar para um edificio vazio é porque não precisa assim tanto de um emprego.
E esta deve de ser a única vez que venho para aqui falar de políticas ...

domingo, 14 de outubro de 2012

book #144 - a viagem do caminheiro da alvorada

Pouco há a dizer sobre este livro. A minha opinião em relação à escrita de C.S. Lewis mantêm-se, uma vez que não há diferença entre os livros anteriores.
E quanto á história, bem, do que me lembro do filme (é dificil de me lembrar muito bem do filme, uma vez que passava mais tempo a babar-me para o senhor Barnes do que outra coisa), a história está bastante fiel.
Continuo a adorar o tom que o autor utiliza. Quase que nos faz lembrar aqueles velhos sábios sentados em frente a uma fogueira a contar uma história.
Sei que muitos autores recriminaram a passagem em que ele fala do porquê de a Susan estar ausente neste livro, mas sinceramente, não vejo qual seja o problema disso ... antigamente era assim que as pessoas tratavam as mulheres. As jovens eram, de certa maneira, um meio que os pais usavam para alcançar um estatuto elevado na sociedade, através de um bom casamento.
Tirando isso, pouco há a acrescentar em relação a este livros.

Sinopse;
Escrito em 1952, "A Viagem do Caminheiro da Alvorada" é o quinto volume das Crónicas de Nárnia. Neste livro, Lucy e Edmund vão passar umas férias a casa de um primo insuportavelmente 'certinho'. Mas subitamente, enquanto discutem em frente a um quadro da tia Alberta são os três transportados por artes mágicas para Nárnia; mais exactamente para o mar alto, onde reencontram o príncipe Caspian e são recolhidos pelo seu barco: o Caminheiro da Alvorada. Equiparado a J. R. Tolkien e Roald Dahl, C.S. Lewis conta-nos aqui mais uma história magnífica, que a um tempo lembra "A História Interminável", de Michael Ende, a "Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carroll, e a "Odisseia", de Homero. Do primeiro título tem o encanto e a melancolia, do segundo o enredo intrigante, e do terceiro o gozo puro da aventura.

book #143 - nas masmorras do duque de langeais

Não fiquei muito surpreendida ao ver que a autora mantem a mesma qualidade de escrita, quer seja na primeira pessoa do singular ou na terceira.
Trata-se de uma short story, mas mesmo assim gostei bastante.
É o relato de como Chauncey se livrou do Patch, mas acabou por perder uma pessoa que amava à custa disso.
Quase sem nos apercebermos, a personalidade do Patch é revelada para o que, mais tarde, vai influênciar a relação que ele mantêm com a Nora.
Pouco há a dizer sobre esta short story, uma vez que são umas meras cinquenta páginas, se tanto.

Sinopse;
Trezentos anos antes de Patch e Nora se encontrarem e viverem uma história de amor intensa e perigosa, o anjo caído leva uma existência completamente diferente... Criatura calculista e muito poderosa, manipula o seu servo Chauncey de Langeais durante os quinze dias de Cheshvan... até que este decide revoltar-se.

sábado, 13 de outubro de 2012

book #142 - crescendo

Eu tinha gostado do primeiro volume desta saga, mas ao ler o segundo o caso mudou de figura. Adorei. Sim, a história não é nada de especial, mas ao mesmo tempo consegue cativar uma pessoa sem ela se dar conta.
Confesso que apenas agarrei este livro porque o queria despachar, mas fiquei tão absorvida na história que se tornou impossivel não a apreciar ao ponto de não conseguir pousar o livro até o ter terminado.
Se me perguntarem o que me lembro do livro anterior, pouco poderei dizer, mas á medida que ia avançando na leitura deste segundo volume, os acontecimentos do primeiro livro vieram ao de cima e rápidamente fui capaz de seguir a história sem qualquer problema.
Apesar de o livro estar escrito na primeira pessoa, é bastante completo e a leitura é agradável. Apresenta uma escrita bastante cuidada e agradável, não restringindo muito, como acontece com outros livros que estão escritos na primeira pessoa.
E depois temos os twists. Estou tão habituada em desvendar os desenvolvimentos dos livros e quando tal não aconteceu com este, fiquei bastante agradada.
Sem dúvida uma das melhores sagas que existem nos dias de hoje e aconselho sériamente a leitura dela.

Sinopse;
A vida de Nora Grey continua longe de ser perfeita. Sobreviver a um ataque que podia ter-lhe custado a vida não foi fácil, mas tudo se resolveu, graças ao seu anjo da guarda - uma criatura misteriosa, sedutora e bela. Mas Patch tem sido tudo menos angelical. Está mais distante do que nunca e parece estar a passar demasiado tempo com a arqui-inimiga de Nora, Marcie Millar. E, como se isso não bastasse, Nora é assombrada por recordações do seu pai assassinado, começando a pensar que as intrigas dos anjos poderão estar relacionadas com a morte dele. Desesperada por desvendar os estranhos acontecimentos do seu passado, Nora expõe-se ao perigo, na esperança de encontrar algumas respostas. Mas todos sabemos que há perguntas que nunca devem ser feitas...

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

book #141 - juramento de dragão

Como é possivel as mesmas autoras escreverem este livro e os livros da Casa da Noite? Não consigo entender. Elas odeiam a personagem principal da sua própria saga? É que foi essa a impressão com que fiquei depois de ler este livro.
Este livro faz parte do universo da Casa da Noite, mas em termos de escrita e de cativar o interesse das pessoas é completamente diferente.
Gostei bastante deste livro e achei bastante interessante. E depois pergunto-me onde andam estas qualidades quando nos referimos aos livros da Zoey?
É que a escrita é cuidada e adulta, os dialogos não são perfeitos, mas são mil vezes melhores que os da saga original ... como é possível?
O livro é bastante pequeno, mas mesmo assim não consegui para de o ler. Numa manhã li-o e fiquei a ansiar por mais.
Era as autoras passarem este tipo de qualidade para a saga Casa da Noite e a saga seria um sucesso.

Sinopse:
No início do séc. XIX, em Inglaterra, e muito antes de se tornar professor na Casa da Noite em Tulsa, Bryan Lankford é um jovem talentoso mas problemático. Até ao momento em que o seu pai, um nobre de grande fortuna, o expulsa para a América. Bryan cedo recebe a Marca dos vampyros e entra no mundo excitante e perigoso dos iniciados. Tornando-se rapidamente no mestre de Esgrima, é confrontado com desafios aterradores mas também com surpresas agradáveis, como Anastasia, a cativante jovem professora de Sortilégios e Rituais da Casa da Noite. Mas quando um poder negro os ameaça a todos, Lankford é apanhado no tumulto. E embora seja um poderoso iniciado, será forte o suficiente para afastar o mal e, ao mesmo tempo, proteger Anastasia? Irão as suas escolhas salvá-la - ou destruí-los a todos?

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

book #140 - destinada

Mais um livro da Casa da Noite, mais um sacrificio em termos de leitura.
Aos poucos a história vai avançando, mas aquela escrita é simplesmente atroz. Os diálogos são ridículos, as personalidades das personagens são rídiculas ... o único ponto positivo nesta saga é a história base, caso contrário já há muito que teria desistido da saga.
É deveras frustrante ler os livros desta saga, porque o diálogo é tão mau ... ninguém fala aquelas coisas, ninguém consegue ser tão random. Mas o pior é quando chegamos ao ponto de vista da Zoey (de há uns livros para cá os livros têm sido divididos entre a primeira e a terceira pessoa). Supostamente é uma rapariga de 16/17 anos, mas aqueles pensamentos parecem saídos de uma criança de 7 anos e não de uma vampira poderosa e uma Sumo-Sacerdotisa.
Não há nada de diferente referente aos livros anteriores, acho que apenas me iria repetir, porque apesar de a história em si avançar, a minha opinião referentes a estes livros será sempre a mesma.

Sinopse;
A Casa da Noite aguarda-te. Um local cheio de perigos e segredos onde os jovens marcados têm dois destinos: ou se transformam em vampyros ou morrem destroçados. As forças da Luz e das Trevas colidem numa luta épica que se desenrola na Casa da Noite. Zoey está finalmente na casa onde pertence, protegida por Stark, o seu Guerreiro Guardião, e preparada para enfrentar Neferet de uma vez por todas. Kalona libertou o seu domínio sobre Refaim e, através do dom da Deusa, ele e Stevie Rae poderão finalmente estar juntos – mas apenas se Refaim se mantiver no caminho da Deusa e se afastar da sombra do seu pai. Mas estará Zoey verdadeiramente em segurança? Conhecerá mesmo todos os seus amigos? E conseguirá o amor triunfar ao ser testado pela própria alma da Escuridão? Venham descobrir em mais um volume da Saga da Casa da Noite o destino que aguarda Zoey…

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Já me conformei que por algum tempo não vou andar bem, mas isso não quer dizer que isso não magoe.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

book #139 - um toque de sangue

Sinceramente? Estava à espera de algo diferente.
Sinceramente? Surpreendeu.
Sinceramente? Foi uma leitura agradável.
Bem, esperava por um livro diferente. Quando soube que era um livro de contos pensei que seriam contos relacionados com outras criaturas, algo que não incluísse muito a Sookie, mas estava enganada. São contos sobre a Sookie. Tal como os livros da saga, escritos na primeira pessoa, a Sookie.
Tirando o meu ódio à Sookie, o livro surpreendeu pela positiva. Por norma demoro imenso tempo a ler os livros desta saga porque "cansam-me", mas este li rapidamente e até que foi uma leitura agradável.
Claro que preferia que fossem contos relacionados com outras personagens da saga True Blood, mas ter gostado de um livro da Charlaine Harris ao fim de tanto tempo já foi uma surpresa bastante agradável.

Sinopse;

Sookie Stackhouse é a empregada de bar preferida de todos. Uma loura bonita e alegre... que consegue ler mentes. Mas está longe de ser a única residente em Bon Temps, Louisiana, com uma particularidade especial, com os vampiros locais reclamando os seus direitos inumanos e os lobisomens lutando por território... Aliás, Bon Temps tornou-se um sítio bastante animado por estes dias!

domingo, 7 de outubro de 2012

book #138 - dark desires after dusk

Tinha que chegar a um livro da Kresley Cole que não morresse de amores, certo? Pois bem, foi este.
Adorei o Cade, mas achei a Holly demasiado irritante. Não me interpretem mal, acho que eles como casal são hilariantes, mas tirando isso ... bem, não morri de amores por ela.
O Cade já tinha aparecido em livros anteriores, mas a personalidade da personagem não é explorada, por isso, fiquei bastante surpreendida por lhe achar tanta piada.
O livro é bom ... os diálogos são divertidos, a história é bem construída, as soluções apresentadas pela autora para a solução de certos problemas são geniais, a escrita é boa ... mas não gostei da Holly. E talvez por isso o livro não se tenha tornado um dos meus preferidos.
Uma vantagem (pelo menos a meu ver); o livro seguinte é do Rydstrom, o irmão do Cade. A história dele começa no livro do Cade e depois já no fim do livro a personagem volta a aparecer e deixa o leitor intrigado.
Esta situação lembrou-me bastante o livro do Vane e do Fang, da saga Predadores da Noite, da Sherrilyn Kenyon. Mas enquanto que nos PdN temos que ler cerca de dez livros entre o livro do Vane e do Fang, nesta saga não, o que acho fantástico.
E agora vou ter que me conter para não ler o livro do Rydstrom, porque antes de pegar nesse livro, tenho outros em lista de espera que têm que ser lidos.

Sinopse;
From New York Times bestselling author Kresley Cole comes this spellbinding story of a demon king trapped by an enchantress for her wanton purposes -- and the scorching aftermath that follows when he turns the tables and claims her as his captive. HIS OBSESSION... Sabine, Sorceress of Illusions: the evil beauty who surrenders her body, but not her heart. HER DOWNFALL... Rydstrom Woede: the ruthless warrior who vows to keep her at all costs. THEY WERE NEVER SUPPOSED TO WANT EACH OTHER THIS MUCH... With each smoldering encounter, their shared hunger only increases. If they can defeat the sinister enemy that stands between them, will Sabine make the ultimate sacrifice for her demon? Or will the proud king lay down his crown and arms to save his sorceress?

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

no doubt vs. hole

Então ... nos últimos dois episódios de Glee eles fizeram cover de duas das minhas músicas preferidas e tenho a dizer ... uma está fantástica, a outra está uma porcaria!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012


Eu sei que por esta altura deveria era de estar a comprar roupa de inverno, mas não resisti a estas t-shirts ... além disso, também comprei uma hoodie.
Ora, a t-shirt de Star Wars comprei na Bershka ... a minha primeira compra numa loja, como eu gosto de chamar, "exclusivamente de magrinhas". As t-shirts dos Marretas comprei no Continente (ainda estou tentada a ir lá buscar a do Cocas) e a hoodie foi na Primark.
Agora há que concentrar em compras de roupa para inverno.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012


Estas foram as minhas compras literárias, nos últimos tempos.
Uma para lazer (agains, sem gastar um tostão) e os outros é uma ajuda para melhorar o meu inglês.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Achei fantástico ter conseguido fazer um bolo com este aspecto. Nada mau para a primeira vez que faço algo do género.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012





Ontem a senhora Lóide enviou-me um link e eu passei-me completamente.
Fan made posters da futura série dos Dark Hunters.
Confesso que nunca me passou pela cabeça ver o Taylor Kitsch como Vane, mas até que faz bastanteeeee sentido. A junção perfeita de um dos meus actores preferidos com a minha personagem preferidas desta saga.
Os meus ovários explodiram!